Ver todas noticias

A participação da Petrobras no varejo argentino pode diminuir pela metade este ano

Isso porque a Oil M&S está assumindo 363 postos e a refinaria de San Lorenzo, vendidos em maio por US$ 110 milhões. O ultrakirchnerista Cristóbal López, dono da Oil M&S, não é o único empresário bem relacionado com o governo que se interessou pelos ativos da estatal brasileira. Fontes do mercado informam que a Electroingenería, que expandiu seus negócios durante os governos de Néstor e Cristina Kirchner, quer os 27% da Petrobras na Edesur, distribuidora de energia que atende metade de Buenos Aires. Na última década, toda a indústria petrolífera teve resultados pouco animadores na Argentina. O problema da Petrobras é que ela entrou no país extraindo petróleo e gás de campos já maduros nas bacias Neuquina e Austral. (Jornal Valor Econômico – Daniel Rittner)-MDC

Site da Eclipse